PM faz operação nos morros do Palácio e Estado, em Niterói

Foto: Internet

ACONTECEU: No Rio de Janeiro

  Rio - Policiais do Comando de Operações Especiais (COE) da PM —,  Bope, BAC e GAM — realizam uma operação, na manhã desta segunda-feira, nos morros do Palácio e do Estado, em Niterói, Região Metropolitana do Rio. Ainda não há informações sobre presos, apreensões ou feridos.

 

  Niterói sofre com a violência

 

  Uma idosa atingida por um tiro enquanto estava internada no Hospital Santa Martha, em Santa Rosa, Niterói, na madrugada deste sábado. A mulher de 61 anos estava dormindo em uma área de apartamentos do hospital quando foi atingida pelo disparo, por volta das 3h, que teria partido do Morro Souza Soares.

 

  Criminosos foram flagrados pelo DIA na mata que corta a comunidade. A idosa está no CTI do hospital e, segundo a família, seu estado de saúde é estável. Ela deve passar por cirurgia nesta terça-feira.

 

  Desde a semana passada, a polícia tem feito uma série de operações em comunidades de Niterói. Na última quinta-feira, criminosos do Morro do Palácio foram flagrados fugindo por uma encosta e roubando um carro que passava pela pela Avenida Almirante Benjamin Sodré, no bairro Boa Viagem, próximo ao Museu de Arte Contemporânea (MAC).

 

  Um dia antes, a Polícia Civil e o Ministério Público do Rio (MP-RJ) fez uma grande operação contra criminosos que fazem parte do tráfico no Morro do Cavalão, em Icaraí. O objetivo era cumprir 81 mandados, entre prisão preventiva e três de busca e apreensão,

 

  O tráfico no Morro do Cavalão é comandado por Reinaldo Medeiros Ignácio, conhecido como Kadá. Segundo as investigações, mesmo no Presídio Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, ele consegue passar ordens para a sua quadrilha.

 

  As ordens são emitidas através de seus familiares, que repassam para os traficantes ligados a Kadá. Sua companheira Monique Pereira de Almeida e seus filhos Rafael Medeiros Ignácio e Reinaldo Medeiros Ignácio Junior foram denunciados pelos crimes. A investigação apurou que eles fazem visitas regulares a Kadá na prisão, tendo Monique, por exemplo, realizado seis visitas a Kadá num período de dois meses.

 

  A denúncia do MP aponta que o tráfico no Morro do Cavalão lucra em torno de 150 mil por semana. Entretanto, em uma mês, segundo as investigações, a rentabilidade do bando pode chegar a quase R$ 1 milhão.

https://odia.ig.com.br/rio-de-janeiro/2018/08/5565992-pm-faz-operacao-nos-morros-do-palacio-e-estado-em-niteroi.html

Email: aconteceu.no.rj@gmail.com

ZAP

(21) 97900-2081