Medidas da prefeitura começam a ser implementadas com edição de decreto que revogará outro de 2004 - Paulo Carneiro/Parceiro/Agência O Dia

ACONTECEU: No Rio de Janeiro

  Rio - Está cada vez mais perto a migração de carga horária semanal de professores do Município do Rio para 40 horas. A medida já está prevista para o primeiro semestre desse ano, segundo informou à Coluna o secretário da Casa Civil, Paulo Messina, no último domingo. O mês, porém, não foi fechado. E para o início desse processo, a prefeitura está convocando os mestres que fizeram concurso em 1992 para que manifestem o interesse na mudança.

  O secretário municipal de Educação, César Benjamin, publicou a chamada no Diário Oficial do Município do Rio da última quarta-feira para os professores que têm matrícula com jornada semanal de trabalho de 16 horas, 22h30 horas ou 30 horas. Eles devem comparecer à Coordenadoria Geral de Recursos Humanos da pasta, entre os dias 19 e 23 deste mês, das 9 horas às 17 horas. De acordo com o texto, a convocação é para que manifestem o interesse (ou a falta) e a disponibilidade em relação à ampliação de carga horária para 40 horas.

 

  Para tirar do papel o projeto de migração, o governo municipal está só aguardando uma 'folga' na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Além disso, ainda está nos planos da prefeitura a contratação de novos professores concursados, criação de melhores condições de trabalho para merendeiras, e definição de escolas que devem passar por reformas. Essas medidas, inclusive, foram divulgadas aos servidores por uma carta aberta do secretário à categoria.

  Reunião com Rivaldo Barbosa

  Representantes dos policiais civis participarão, hoje, de reunião com a chefia da Polícia Civil, para tratar de assuntos da categoria. O Sindpol e a Colpol levarão ao chefe da instituição, delegado Rivaldo Barbosa, demandas como o cumprimento de decisão para promoções, nomeação de 96 papiloscopistas (que já fizeram Acadepol), e pagamento do 13º.

  Aprovados recorrem à Alerj 

  Aprovados em concursos para a área de Segurança do Rio (Corpo de Bombeiros, PM, Polícia Civil e Seap) estão firmes em suas reivindicações e vão cercar de todos os lados por suas convocações. Ontem, integrantes da comissão de concursados estiveram na Alerj e levaram seus pedidos ao presidente em exercício da Casa, André Ceciliano (PT).

  Cronograma do governador

  Ao fim do encontro, Ceciliano disse que vai exigir do governador um cronograma de nomeação. Também participaram da reunião o líder do governo na Casa, Gustavo Tutuca (MDB), a presidente da Comissão de Segurança da Alerj, Martha Rocha (PDT), e os deputados Paulo Ramos (PDT), Dr. Julianelli (PSB), Geraldo Pudim (MDB), Geraldo Moreira (PTN) e Luiz Paulo (PSDB).

  PCCS da Saúde em pauta

  Também ontem os parlamentares ouviram os servidores da Saúde. A categoria se reuniu com Ceciliano e outros para pedir urgência na criação de um Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS). O projeto com o plano, de autoria do Executivo, ainda não chegou à Casa. O presidente em exercício afirmou que vai trabalhar com os deputados para agilizar a votação, quando o texto estiver na Alerj.

https://odia.ig.com.br/colunas/servidor/2018/03/5522731-processo-de-migracao-para-40-horas.html

Email: aconteceu.no.rj@gmail.com

ZAP

(21) 97900-2081